Padme e Durga



Durga e Padme




Aiai... estava aqui pensando enquanto escuto o bate bate da obra, nas coisas que gostaria de comprar pra Padme e pra Durga... um arranhador novo bem bonito, alto e felpudo, uma casinha e uma cestinha. E também gostaria de ver se elas se acostumavam com alguma coleirinha bem bonitinha... hehe...

Minhas gatinhas são, seguramente, o bem mais precisoso que tenho. Não há prazer que suplante ouvir os doces miados de Durga conversando com a gente ou as ásperas lambidinhas que a Padme dá. E aqueles olhinhos verdes? Os da Durga claros como o Golfo do México no caminho para Key West, os de Padme escuros como azeitonas verdes... Ah, como minhas filhotas são companheiras! Onde estou, lá estão elas também. Até mesmo se tomar banho de porta aberta, lá estarão as duas me acompanhando. Uma soneca de tarde com a Durga do lado ou a Padme se fazendo de tapetinho pra ganhar carinho com o pé são prazeres simples e tão necessários! Impossível não sorrir quando se tem um gatinho por perto! E pensar que há tantos gatinhos sem lar e tantas pessoas sozinhas... Se pudessem e soubessem vencer o preconceito que há em torno dos bichanos, se dessem a si mesmos a oportunidade de privar da lealdade e do carinho dessas criaturinhas tão suaves e inteligentes, ah... o mundo todo sorriria mais, tenho certeza! :)

Nina Victor

(escrito em julho de 2006 e ainda tão atual)



Nenhum comentário: