Poema Para Gatos de Artur da Távola





Silêncio,

eis a tarefa
de todos os gatos.
Poucos sabem perscrutar

(talvez ninguém em plenitude)

o grau de solidão necessária

ao saber auto suficiente

para ser felino e doméstico

em sua tarefa de monge
guardião do
inextricável

em quem o homem não percebe

a metafísica natural,

recolhimento
saber
sensualidade
e aceitação.




Fotografia de Marc Aubry

Nenhum comentário: