A Deusa Egípcia Bastet




Na mitologia Egípcia Bastet, Bast, Ubasti, Ba-en-Aset ou Ailuros (palavra grega para "gato") é uma divindade solar e deusa da fertilidade, além de protetora das mulheres grávidas. Também tinha o poder sobre os eclipses solares. A deusa está presente no panteão desde a época da II dinastia. Era representada como uma mulher com cabeça de gato, que tinha na mão o sistro, instrumento musical sagrado. Por vezes, tinha na orelha um grande brinco, bem como um colar e um cesto onde colocava as crias. Podia também ser representada como um simples gato. Por vezes é confundida como Sekhmet, adquirindo neste caso o aspecto feroz de leoa. Certa vez, Rá ordenou a Sekhmet que castigasse a humanidade por causa de sua desobediência. A deusa, que é representada com cabeça de leoa, executou a tarefa com tamanha fúria que o deus Rá precisou embebedá-la com cerveja para que ela não acabasse exterminando toda a raça humana. O que acabou originando a deusa Bastet. Era a esposa de Ptah, com quem foi mãe de Nefertum e Mihos. A esta deusa é tradicionalmente consagrado o dia 15 de abril. O seu centro de culto estava na cidade de Bubastis, na região oriental do Delta do Nilo. Nos seus templos foram criados gatos que eram considerados como encarnação da deusa e que eram por essa razão tratados da melhor maneira possível. Quando estes animais morriam eram mumificados, sendo enterrados em locais reservados para eles.

Wikipédia

2 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns pela página sou apaixonada e defensora dos gatos q na maioria das vezes são subjulgados e discrimados, como animais traiçoeiros claro q por pessoas q não tiveram o prazer de convivar e amar esses animais astutos, inteligentes e elegantes!!!
Tudo de bom!!!

Heloise
Piracicaba-SP

Nina Victor disse...

Heloise, eu costumo dizer que os gatos são os animais mais injustiçados do mundo! Possuem uma péssima fama totalmente infundada. É uma lástima o preconceito que muitos ainda tem com os bichanos...

Beijo!